Infraestrutura e Tecnologia:
Apoio Técnico para Adoção de Novas Tecnologias

Outra peça chave para garantir que os agricultores familiares se beneficiem de inovações para o campo consiste no oferecimento de serviços de apoio técnico alinhados a este novo momento do setor agrícola. É o profissional de assistência técnica e extensão rural quem auxilia o produtor a acessar políticas públicas, traz informação do mercado para o campo, ajuda a avaliar opções de investimento e a implementar melhorias na produção, além de preparar o agricultor para avaliar criticamente produtos oferecidos a ele pelo mercado, como insumos, defensivos e equipamentos. Ainda, de acordo com a PNATER, o extensionista rural deve fomentar o desenvolvimento rural sustentável embasado em princípios da agroecologia, cumprindo, portanto, papel essencial no fortalecimento desses agricultores e na promoção da conservação ambiental.

É necessário assegurar que esses profissionais tenham as ferramentas necessárias para explorar as oportunidades tecnológicas junto ao produtor familiar. Um grupo de diretrizes foi criado para iluminar caminhos que empresas do setor e governos podem seguir para alcançar este objetivo.

Fortalecer a atuação da assistência técnica no campo

Ampliar alcance geográfico de profissionais de Ater qualificados para disseminar novas tecnologias no campo.

Integrar esforços dos atores envolvidos na capacitação de agricultores, como Sebrae, Ater e Senar, promovendo complementaridade entre eles (ex: elaborar conjuntamente planos de atendimento a cooperativas em comum).

Fornecer apoio técnico (próprio ou por meio de parceria) personalizado e adequado às especificidades dos fornecedores, para que eles possam atender as demandas da empresa.

Preparar profissionais de Ater para promover inovações tecnológicas no campo

Incentivar que cursos de formação acadêmica e de atualização para extensionistas contemplem inovações e práticas produtivas sustentáveis voltadas para a agricultura familiar.

Veja abaixo sobre práticas produtivas sustentáveis

  •  Uso eficiente de recursos como água, energia e nutrientes do solo;
  •  Aplicação responsável de defensivos e fertilizantes, respeitando instruções e períodos de carência e buscando alternativas ao uso de produtos químicos;
  • Minimização das emissões de gases de efeito estufa associadas à atividade;
  •  Estratégias e técnicas de resiliência a variações climáticas e a eventos climáticos extremos;
  • Conservação da biodiversidade e das fontes dos recursos naturais existentes na propriedade e no entorno;
  • Priorização de práticas de produção orgânica e agroecológica.

 

FONTE:

http://www.fao.org/sustainability/en/

Ampliar a capacitação de profissionais de Ater em gestão de propriedades e cooperativas.

Integrar agentes de Ater local com estadual e federal, criando uma rede de aperfeiçoamento e constante aprimoramento (ex: encontros de troca de experiências de Ater na implementação de inovações no campo).

Alinhar a atuação de profissionais de campo de redes varejistas e indústrias de alimentos às diretrizes da PNATER.

O projeto Vaca Móvel tem como objetivo promover a melhoria da qualidade do leite e da sanidade animal. Por meio de um carro equipado com laboratório voltado para a análise de leite, o Instituto BioSistêmico presta assistência técnica aos produtores. A tecnologia já foi implementada em mais de 16 estados do Brasil.

Exemplo Nº 2.a

Dentre as atividades realizadas pela Proteios no âmbito do projeto Ora-pro-nóbis encontra-se o acompanhamento e a assistência técnica nas propriedades.

Exemplo Nº 2.b

O Instituto Beraca realiza ações de desenvolvimento da cadeia produtiva. Dentre as atividades realizadas junto às comunidades estão o planejamento participativo e a realização e o acompanhamento de planos de ação.

Exemplo Nº 3.a

O Programa Mais Gestão promove o fortalecimento de cooperativas da agricultura familiar, qualificando-as em termos de gestão para ampliar o acesso a mercados, especialmente no âmbito do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

Exemplo Nº 3.a

O Programa de Desenvolvimento Rural Sustentável Microbacias II é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo que busca ampliar a competitividade de cooperativas e associações de agricultores familiares perante os mercados.

Em 2015, o antigo Ministério do Desenvolvimento Agrário realizou em Brasília o Seminário nacional de boas práticas de ATER, a fim de apresentar experiências exitosas na implementação da Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Pnater) e casos de sucesso de agricultores familiares.